Rita von Hunty: Uma flor furando o asfalto, o tédio, o nojo e o ódio

por Caio Uehbe Sempre fui uma pessoa alheia, e até mesmo muitas vezes repulsiva, às novas tecnologias. Não por negar totalmente alguma utilidade nelas, mas, talvez pela minha formação acadêmica, por entender o quanto elas são criadas não visando a real melhoria das condições de vida das pessoas, mas sim, como um meio de facilitar … Continue lendo Rita von Hunty: Uma flor furando o asfalto, o tédio, o nojo e o ódio

O Direito à discordância e não à ignorância: as mãos sujas de sangue

por Caio Uehbe Quando eu era adolescente, no tempo da escola, sempre me perguntava nas aulas de história sobre o nazismo “como as pessoas permitiram que isso acontecesse?”, “será que elas não sabiam o que estava acontecendo?”. Tais perguntas eram, por certo, perguntas retóricas, dada a impossibilidade de viver aquele momento histórico para obtê-las. Não … Continue lendo O Direito à discordância e não à ignorância: as mãos sujas de sangue